DSC_0900

FacebookTwitterWhatsAppPinterest

6 dicas para quem vai fazer uma viagem longa… ou curta. 

1. Lembre-se, quem manda é você, então não se sinta culpado se não quiser fazer nada…

Sabe aquela obrigação de ter que fazer determinada coisa… tem que passear, tem que visitar tal museu, tem que estar na rua, tem que acordar cedo…

Olha, isso cansa… tem hora que a única coisa que você quer é ficar dentro de casa/hotel/pousada/barraca e não colocar o pé na rua. Mas aí você faz isso e vem aquela culpa… uma sensação de perda de tempo que não te dá sossego para poder curtir o seu momento de ócio.

Vai viajar? Tem toda a programação pronta? Que ótimo! Mas aqui, se estiver exausto ao fim de um dia e ainda estiver faltando aquela praça em que tem a escultura de fulano de tal que foi construída em 1800… ou acordou e está doido pra ficar mais uma horinha na cama… relaxa!!! Você está viajando e não trabalhando!!!! Quem manda é você, então aproveita o momento e seja um bom chefe consigo mesmo. ;)

2. Não viaje apressado!!!

Não caia na armadilha de fazer 10 países em 20 dias na Europa por exemplo. Aliás, já vi gente fazer mais que isso. É muito cansativo e a única conquista que você vai ter é o carimbo no passaporte, porque conhecer, conhecer mesmo, não vai não.

Conheci um cara que tinha estado em mais de 50 países pelo mundo… não é legal? Mas aí fui descobrir que na maioria deles ele só tinha passado… tipo, conheceu o aeroporto, passou uma tarde e por aí vai. Não é o meu tipo de turismo, mas se esse é o seu estilo, ignore essa dica. :P

3.Deixe a vergonha e a timidez em casa

É incrível como temos medo de errar quando estamos em terra estranha. Eu mesma passei por situações em que fiquei extremamente envergonhada e totalmente sem motivo! Depois de um tempo relaxei para tirar fotos por exemplo… faço poses onde eu estiver, afinal de contas, tá na cara que sou turista, e turista faz o que? Tira foto!

Teve uma vez que me deu muita vergonha de usar os caixas de um supermercado em Londres. São daqueles caixas que você faz tudo, passa a mercadoria, paga e coloca na sacola. Até falei deles aqui nesse post sobre as melhores coisas para se fazer em Londres.  Não sabia usar aquilo e me deu a maior vergonha perguntar. Daí ficava na fila do caixa normal, totalmente sem necessidade. Depois de um tempo, venci a vergonha e perguntei como usar claro.

Tem o inglês macarrônico!!! E daí? Não sabe usar o metrô? Aprende! Fala um oi com alguém no idioma deles, dê um sorriso que já é meio caminho andado para fazer ótimas amizades pelo mundo.

4. Não seja tão pão-duro

Imagino que a maioria das pessoas que fazem longas viagens tenham o mesmo estilo que eu e Flávio, econômico. Temos um valor específico para gastar por dia entre hospedagem, passeios, transporte e alimentação.

Você não precisa ser rico para viajar por longos períodos e muito menos curtos, mas é importante ter um orçamento, uma idéia dos gastos até pra não correr o risco de na metade da viagem faltar dinheiro. Já escrevi um post sobre os gastos ao redor do mundo, dá uma olhada aqui.

mao-de-vaca-rosa-com-desenho

O que eu quero falar mesmo é: não seja fominha com o dinheiro, não deixe de fazer coisas que farão sua viagem mais rica de histórias, melhor e te deixar mais feliz. No início da nossa viagem pela Europa, fiquei louca controlando nossos gastos. Queria comer um fish and chips (peixe e fritas) e não podia porque iria “estourar” o orçamento. Depois de um tempo, nós conversamos e conseguimos chegar a um equilíbrio. Ultrapassamos nosso orçamento, mas nada alarmante.

5. Leve pouca coisa

Nada de levar o limite de bagagem permitida! Pra que levar tanta coisa? Pesquise a temperatura média do lugar, leve o básico e aproveite para fazer umas comprinhas. Eu diria que o ideal é levar no máximo 10 kg, e se for fazer compras no destino, leve uma mala com folga para trazer de volta suas novas aquisições.

E por último…

6. Faça um planejamento

É importante fazer um mínimo de planejamento. “Mas Jani, eu gosto de ir sem planejar, chegar no lugar e ir onde o vento me levar…” ok, entendi!!! Mas daí pode acontecer de você ir visitar o Louvre no dia em que está fechado, chegar lá e pegar as portas fechadas. Ou então, como aconteceu comigo, deixar pra comprar os ingressos para o Museu da Anne Frank em Amsterdam uma semana antes e mesmo assim estarem esgotados! Ou você descobrir que precisa de uma vacina para entrar no país, ou que precisa de uma foto 4×6 na entrada na hora de obter o visto… enfim, pode acontecer tanta coisa que te faz chegar a conclusão que vale a pena fazer um planejamento, mesmo que seja só um pouquinho.

DSC_0693

Quando peguei as passagens de trem pela Suiça, fiquei assim, encantada e vesga.

Conta aí nos comentários alguma raiva que você passou por não ter planejado direito a viagem.

Fim!

Bjs